IBM adota Firefox como browser padrão

Algumas coisas as vezes demoram pra acontecer. Mas quando falamos de grandes companhias, é comum uma mudança demorar pra propagar. É o que aconteceu somente agora: IBM adota Firefox como seu browser padrão. Desde antes da época que trabalhei no departamento web aqui no Brasil, os profissionais do departamento já brigavam para emplacar o Firefox dentro da companhia, mas devido à cultura corporativa adotada, o IE ainda reinava.

Lembro até de campanhas internas para lembrar alguns desenvolvedores que o IE deveria estar instalado em suas máquinas para entrar no esquema de testes. Espero que o IE6 não esteja mais na maioria das máquinas, como acontecia também (afinal, ter um IE6 em sua máquina é um risco considerável…).

Como disse a editoria de Tecnologia do IG, a IBM adotou o browser por sua veia OpenSource (uma quebra de rotina dessas só poderia partir mesmo do braço livre da empresa), por ter melhor suporte para extensões (aqui com certeza os desenvolvedores quem bateram o pé) e a meu ver, principalmente por ser mais customizável (e assim, a gigante poder ter um melhor controle das ferramentas utilizadas por seus colaboradores, como recursos). Claro, podemos esperar outros motivos ainda, afinal, empresas desse porte nunca fazem mudanças globais sem antes calcular minuciosamente o quanto poderão economizar/ganhar com uma ação dessas. Talvez vejamos em alguns meses alguma nova ferramenta interna sendo vendida globalmente, baseada na tecnologia do browser.

Mas claro, quem conhece, sabe que os benefícios de adotar um browser mais robusto são muito bem vindos, seja sua empresa pequena ou gigante.

Confira mais no iG – Tecnologia

Estranho IE 7

Semana retrasada perdi um pouco da minha tarde graças ao IE 7. Descobri, depois de uma boa fuçada, que campos (inputs) em forms que tenham como id as palavras “username”, “password” e “email” tem um comportamento um tanto quanto estranho no famoso browser da Micro$oft, se eles forem hidden inputs. Eles ficam impossibilitados de serem alterados via Javascript[bb] (pra que serviria um hidden input que não posso manipular afinal?).

Seria um bug? Uma proteção? Uma brecha ou uma tentativa esdrúxula e desesperada de tornar o browser mais seguro para aplicações web? Somente o tio Bill tem a resposta. Como não podemos esperar que ele nos envie por e-mail, vamos a solução: trocar o nome do objeto. No meu caso, não podia renomear o campos pois o processamento dependia do nome fixo dos campos, mas eu ainda podia alterar os ID’s e manter o nome dos campos intactos. Aí a manipulação com jQuery[bb] fica simples e não demanda muitas linhas de código para resolver o problema.