Dedicação e trabalho para entregar mais um projeto

“É com grande Satisfação e Alegria que compartilho isso com vocês” – Parafraseando nosso cliente Jesuino, que acabou de receber a notícia de que seu projeto estava no ar, que iniciamos esse post para anunciar, também com grande alegria e orgulho de nosso trabalho, que acabamos de entregar mais um projeto, e peculiarmente este, cujo foco é divulgar a campanha de um candidato a vereador que a THLopes apoia nessas eleições: Jesuino Pereira Lopes, também conhecido como Jesuino Uniformes.

Banner do site de Jesuino 27678

Em breve vamos dedicar uma página para descrever o projeto e falar mais “tecnicamente” sobre ele para todos os curiosos e ávidos por conhecimento da área.

Nós da THLopes nos dedicamos especialmente a esse trabalho, porque temos esperança de que Jesuino poderá fazer mais e melhor por nossa cidade. Por isso recomendamos: Acessem agora mesmo e confiram o trabalho e também as propostas do candidato!

Curso Engenharia Web propõe desenvolvimento sistemático de aplicações para internet

Citação

Nova pós-graduação é voltada a profissionais de tecnologia da informação e interessados em ter uma compreensão mais abrangente da área

O mercado de tecnologia da informação tem buscado profissionais capazes de analisar criticamente o ambiente de desenvolvimento web, com visão orientada para qualidade e melhoria de processos. Atento a esse cenário, o Centro Universitário Senac lança a pós-graduação Engenharia Web, a primeira dessa categoria no Estado de São Paulo. Duas unidades, Senac Lapa Tito e Senac Santo André, vão oferecer o curso no próximo ano, capacitando em 366 horas interessados em planejar e coordenar projetos nesse segmento.

“Definida como o uso sistemático da engenharia no desenvolvimento, na implantação e manutenção de aplicações web de alta complexidade, trata-se de uma nova área do conhecimento, ainda pouco explorada. No Brasil, percebe-se que esse trabalho representa uma parte significativa da produção de empresas de softwares”, comenta Richard Martelli, técnico da área de tecnologia da informação do Senac São Paulo. Além dessas organizações, o engenheiro web pode atuar em instituições de comércio eletrônico, de design, de publicidade, portais de conteúdo, comunidades virtuais, bem como órgãos governamentais e ONGs.

Apesar de fortemente baseado na engenharia de software, o curso apresenta como diferencial ao aluno o tratamento multidisciplinar, tendo como público-alvo é formado por profissionais de análise de sistemas, ciências da computação, sistemas de informação, engenharia de software, web design e mídias interativas, além de pessoas que já atuam na área e desejam uma compreensão mais abrangente.

Mais informações podem ser obtidas em www.sp.senac.br ou diretamente no Senac Lapa Tito e Senac Santo André.

Testando Javascript

javascript-testing-570x190

Outro dia, um grande amigo me perguntou como fazia para automatizar o teste do Javascript desenvolvido em vários browsers. Para ser bem sincero, eu não utilizo nada além de vários browsers diferentes instalados em cada uma das minhas máquinas (virtuais ou não), cada uma com um sistema operacional diferente  (Ubuntu 10.10 e 11.04 , Windows XP, Vista e 7 e carente de um Mac por enquanto…).

Realmente, mesmo usando o Synergy e uma boa configuração de rede local, ainda fica um pouco trabalhoso… Então resolvi pesquisar algumas ferramentas que poderiam ajudar nessa árdua tarefa, e creio que muitos vão agradecer pelas dicas e até colaborar com dezenas de outras nos comentários. Nem todas visam automatizar o teste em escala, mas todas vão facilitar alguma fase dos testes para que seus projetos tenham um excelente resultado

BrowserShots

Essa ferramenta vai mostrar pra você como seu site irá “renderizar” em diversos browsers diferentes, sem que você os tenha instalado, permitindo que você identifique problemas de compatibilidade mais rapidamente (principalmente se você se valeu de javascript para trabalhar estilos/css)

ScriptCover

Recém-lançado pelo Google, essa ferramenta fornece estatísticas de cobertura de código linha-a-linha, permitindo que você analise (em tempo real até) quantas vezes uma determinada instrução foi executada durante o uso da página. Essa extensão do Chrome funciona desde o instante inicial de carregamento da página e continua enquanto o site vai sendo utilizado, sem atrapalhar o usuário. Excelente  também para debugar códigos complexos, que porventura venham a falhar misteriosamente em algum browser específico (para não dizer logo I.E.).

js-test-driver

Esse framework permitirá que você trabalhe na filosofia TDD (Test Driven Development), integrando-o a sua IDE (Eclipse, por exemplo) para automatizar a execução dos testes tão logo você modifique os arquivos do projeto. Exige uma preparação dos cases de teste, mas já que estamos falando de TDD, isso não será o problema. Confira nesse post a apresentação na época de lançamento onde é demonstrada a praticidade do mesmo.

QUnit, a filosofia jQuery também nos testes

QUnit é um poderoso framework de Unit Test que o ajuda a depurar o código. É escrito por membros da equipe de jQuery, e é o conjunto de testes oficial para este famoso framework. Ele é também o suficiente para testar qualquer código JavaScript regular, e é ainda capaz de testar Javascript server-side, através de algum mecanismo de JavaScript como Rhino ou V8.

Jasmine

Não, você não vai contratar uma estagiária chamada Jasmine para fazer o le-rê-le-rê de abrir páginas e págians em todas as máquinas do seu escritório. É um framework BDD, Behaviour Driven Development, ou seja, desenvolvimento orientado a comportamento. Para quem acha o TDD coisa do passado.

W3C Validator

Não menospreze-o. Alguns acham cafona, outros, nem sequer ouviram falar. Mas pense: se o código está de acordo com Standards, a chance de renderizar igual na maior parte dos browsers também é maior! E também, pode ser um excelente atalho para encontrar algum problema misterioso que não consta nos consoles.

Firebug

Apesar de usar o Chrome a maior parte do tempo, ainda acho a versão Firefox da extensão de desenvolvimento web mais prática e rápida para ajudar no debug, teste e inclusive no desenvolvimento (quem nunca desenvolveu uma linha de código javascript direto no console pra depois copiar e colar no código-fonte que atire o primeiro mouse!)

E você, usa alguma outar ferramenta para facilitar o testes Javascript? Por favor, ajude-nos!

Conferir Loterias agora ficou mais fácil

Post rápido para divulgar mudanças e updates no projeto PyLottery. Para quem não conhece ainda, recomendo a leitura do post anterior

Além do projeto agora estar no BitBucket.org, temos também a opção de conferir as apostas na Lotofacil também, além de algumas mudanças quase imperceptíveis e também o código estava quebrado devido a uma mudança na disponibilização dos resultados por parte da CEF, que agora está funcionando perfeitamente.

Futuramente teremos um refactoring, fazendo a mesclagem dos códigos numa classe única, conforme as diferenças e semelhanças entre cada tipo de Loteria forem sendo analisados.

Meu Ambiente de trabalho em 7 itens

Development tools, THLopes.comSeguindo a “corrente do bem” que chegou até mim via Rocha C. Bruno, segue minha lista para Meu ambiente de trabalho em 7 items (Nossa, um número realmente pequeno para esse tipo de brincadeira…), vamos lá:

  1. Python: A linguagem mestre, sempre liderando qualquer projeto. Curiosamente, até em projetos onde o Python não é a linguagem principal, ele exerce sua influência: estou sempre pensando “Pythonicamente” para resolver problemas, aplicando o Zen que a comunidade e linguagem prega. Não é apenas linguagem: é Filosofia!
  2. Django: Nem todos projetos são Web, ou 100% Web. Mas os que atendem a esse requisito, sempre tem esse maravilhoso framework direcionando os trabalhos.
  3. Javascript: Para muitos, é algo bizarro. Para mim, que trabalho a maior parte com interfaces e interação do usuário com os sistemas, é a arma. E como já disse para muitos amigos de trabalho: “Para mim, Javascript é o Python rodando diretamente no Browser.
  4. jQuery: Muitas vezes esse framework chega a se sobrepôr a própria linguagem. Em muitos projetos, dá até pra dizer que temos “mais linhas jQuery do que Javascript puro”. Mas o que isso quer dizer? Que Web sem jQuery realmente é muito mais difícil e demorado! Gosto tanto do framework que criei até uns plugins
  5. Firebug: Se eu tiver de nomear um dos items como minha Shuriken, o Firebug seria sem dúvida! Muito prático, rápido e a ferramenta ideal para “prototipar” qualquer interface. Ainda mais se o cliente estiver do seu lado, esperando uma resposta sua: Você abre o console, algumas linhas e opções depois, você mostra pra ele como pode resolver  o problema… e negócio mais próximo de estar fechado!
  6. Mercurial-HG: Devo confessar, antes usava SVN, e quando a vida me exigiu mudar para Mercurial, tive um pouco de resistência. Mas hoje, alguns meses depois, só vejo vantagens, principalmente  após usar os excelentes recursos do Bitbucket e saber que várias boas ferramentas que utilizo, inclusive o próprio Python, tem seu código armazenado por lá, e também que Mercurial é uma ferramenta escrita em Python.
  7. Eclipse: Não vou morrer se o Eclipse não abrir… mas vou ganhar várias horas de lazer com algumas praticidades que ele traz: com essa IDE, eu centralizo diversas outras ferramentas, libraries, automatizo alguns procedimentos, debugs, vários ambientes de execução e depuração customizados com fácil acesso… enfim, um verdadeiro Canivete Suíço! Claro, ele tem que estar turbinado com alguns plugins, tais como: Aptana, PyDev, Mercurial, etc.

E assim como outros fizeram, vamos às menções honrosas de outras ferramentas que fazer uma pontinha no ambiente com menos frequência. Percebam que muitas ferramentas são claramente feitas para rodar em Windows, geralmente para suprir necessidades que são padrão no Linux

  1. Ubuntu: Companheiro de cada dia! Geralmente uso Windows por conveniência (sempre compro notebooks com Windows original pré-instalado, e dá uma preguiça de instalar e configurar um novo sistema… apesar de que nas últimas versões de Ubuntu esse processo estar facílimo!). Certas coisas na vida de um desenvolvedor só são possíveis num sistema Linux, e Ubuntu é o mestre nesse aspecto. Um exemplo é um projeto recente que estou trabalhando que envolve processamento de vídeo, usando FFMpeg e PyFFMpeg. Praticamente impossível de rodar em Windows… porém, no Linux, é mamão-com-açúcar
  2. Google App Engine SDK: Ferramenta essencial para projetos dentro da plataforma do Google. Quando usando com Eclipse, basta integrar no ambiente ou no projeto e o Eclipse/Pydev faz toda a interface pra você.
  3. Putty: Quando não no Linux, uma ferramenta essencial para conectar-se a sistemas remotos.
  4. iPython: Mão na roda para agilizar alguns comandos experimentais e em testes (Experimentando o DreamPie também)
  5. XAMPP: Outra ferramenta indispensável quando desenvolvendo fora do Linux
  6. phpMyAdmin: Muita gente torce o nariz, mas essa ferramenta é muito boa e prática. Só não é melhor por não ser em Python, :D .
  7. Skype: Para conversar com a equipe, clientes, e até fazer pequenos treinamentos
  8. DropBox: Backup e compartilhamento entre máquinas remotas. Uso principalmente como backup automatizado do meu ambiente de desenvolvimento remoto e até apaga alguns
  9. VMWare Player: Para rodar mais de um sistema de uma vez, permitindo testes (compatibilidade e usabilidade) mais rápidos e práticos
  10. VNC / Win2VNC: Também para rodar mais de um sistema de uma vez, mas aqui, para controlar mais de uma máquina com um único teclado e mouse, não para visualização remota (inclusive, acho horrível…)
  11. Pencil (Firefox Add-on): Para fazer Wireframes

Para dar continuidade, convido os amigos para seguir nesse trend:

@mauriciosl
@jeanwainer
@ergalassi
@marcelohonorio
@odranoel
@Ericgoes
@marcosriso

zipando arrays javascript como no python

Essa dica rápida é para aqueles que estão procurando uma forma de mesclar (merge) arrays em Javascript como é feito em Python através da função zip():

function zip() {
    var merged=[],arrays=[],lengths=[];
    for(var i=0; i<arguments.length; i++) {
        arrays.push(arguments[i]);
        lengths.push(arguments[i].length);
    }
    for (var i=0; i < Math.min.apply(null,lengths); i++) {
        merged[i] = arrays.map(function(value) { return value[i]; });
    }
    return merged;
}

Enjoy!!!